Somos árvores em meio das folhas caindo.


       Era uma noite de março, quando duas garotas se encontraram por acaso, as amizades são assim mesmo, você encontra conforto em pessoas que meses atrás era totalmente desconhecidas, elas se tornaram inseparáveis, conheciam cada tintim da outra, e se um menino machucava... Ah, tinha que correr e tirar satisfação. 
       Telefonemas e mensagens, coisas que melhores amigas prometem: Vamos ser melhores amigas para sempre. E quando viu aquela degradação de palavras na internet de "Best Friend até end", elas juraram que algo desse tipo, jamais aconteceria com elas.
        Dizem que a amizade é mais difícil de enfrentar que amor, talvez seja, você tenta e segura com as mãos, mas há relacionamentos que são como areia, não importa o quanto você segure, aperte, ele escorre aos poucos pelas mãos, é loucura achar que na amizade isso não acontece. É como uma árvore, o caule está sempre cheio de folhas, elas estão verdes e saudáveis e quando se vê, a estação já é outra, já estão diferentes, laranjas as folhas que já foram verdes um dia, e você começa a sentir que elas estão te preparando para a despedida, de alguma forma, você acha que isso é reconfortante, ter uma preparação para dizer adeus, mas não é.
         Quando as folhas caem, ou melhor, quando nossos amigos vão embora, você se dá conta que mesmo tendo o tempo da despedida, mil perguntas sobre o motivo da partida gira em torno da sua cabeça, então vamos lá, vamos nos culpar. É assim mesmo. Então, metaforicamente, a árvore fica lá e sozinha, aguenta frio e sol, sem nenhuma folha sequer. 
          Bate a tristeza e bate aquela saudade ao ver as fotos, ao ler as conversas antigas, mas se parar e fizer uma análise, vai perceber que sempre foi assim. No jardim de infância, você tinha alguns amigos, mas hoje você pode nem saber onde eles estão e se conservou muito daquela época foi uns dois ou três amigos, o resto se foi como as folhas velhas que deixaram a árvore sozinha.
            Logo depois, vem seus vizinhos. Você mora em uma casa a vida inteira, outras pessoas que você considera suas amigas moram na outra casa, até que ironicamente, a felicidade de uma das casas não está mais ali naquele lugar, está em uma oportunidade de emprego em outro bairro, em outra cidade, em outro estado ou país, ou está na faculdade que você conseguiu, mas que precisa viajar, dificilmente, sua relação com aquele vizinho que já foi seu amigo continuará a mesma, podem dizer que não, mas sou vítima dessa verdade: A distância enfraquece os laços de amizade, desgasta o afeto e destrói a intimidade.
            O que isso tem a ver? Porque em todos esses lugares fizemos amigos e juramos que eles estariam para sempre em nossa vida, mas chega um dia qualquer, você se pega perguntando: "Onde anda fulano?". Coisa que você, como amigo, saberia há anos atrás ou meses, quem sabe, dias. A culpa não está em nós, a culpa não está em ninguém.
            Mas, é como a árvore, as folhas verdes são bonitas e deveriam ser eternas, mas elas caem, e por mais que a árvore tenha que aguentar um tempinho sozinha, folhas verdes sempre acabam voltando, não aquelas, aquelas foram sendo levadas pelo vento e já estão muito distantes para serem alcançadas e mesmo se fossem, você não poderia coloca-las de volta no lugar, o que resta é admirar as novas folhas. 
             Em uma vida de fases, novas pessoas vão sempre entrar e sair, e sendo sincera, poucas vão ficar, mas o que resta a cada um fazer é aproveitar o momento com elas, não deixa-las ir, se possível, mas se for, esteja forte, como a árvore, você passará um tempinho sozinho, mas é só uma questão de tempo para que novas folhas ocupem você, e como eu já disse, não é porque as velhas não está lá, que não são importantes, ao contrário, elas são inesquecíveis, pois cada uma deixou uma lição importante para sua vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário