Dói... e não é a primeira vez.

 
FONTE: Pinterest
 
       As pessoas nos magoam e então perdoamos e criamos por ela um desculpa para que tudo aquilo tenha acontecido, porque não queremos perdê-la, mesmo que ela tenham nos feito se sentir em um rio afogando, como se estivesse naquela caixa fechada que você sempre tem medo de entrar, você não controla esses pensamento, você acha que tem controle sobre eles, mas eles sempre voltam.
     A gente perdoa porque na hora de fazer a lista, as partes boas de alguém é maior que suas partes más, mas talvez não sejam, talvez a gente só esteja colocando a mesma qualidade duas vezes, exaltando algo que não é qualidade é obrigação de um ser humano ser. Na primeira vez que você me magoou, eu guardei tudo para mim, jurei nunca mais falar com você, doeu por cinco dias e meio, até que um dia eu não tive mais vontade de chorar e seu nome tinha voltado para o topo das minhas conversas. Eu achei que estava sendo imatura por me deixar abalar por algo que você disse. era tudo coisa de uma menina mimada. Então te perdoei.
     Eu realmente achei que você estava bem com tudo, afinal, você que me quebrou, você nem se tocou, tinha tanto estilhaço no chão e você sempre de chinelo, pronto para mais farra na minha cabeça que já pensa mil vozes por mim. Me curei, estava mais forte, armadura de aço e levei você do meu lado, o que foi estranho, vejo isso agora, nenhum cavaleiro leva o dragão que matou por ai, ele leva as cicatrizes que o dragão fez e isso é suficiente para ele lembrar que ele venceu, mas eu não. Levei os dois, porque achei que os dois me fariam fortes, mas deva saber que você estava pronto para fazer tudo de novo.
      E com as mesmas palavras que você me derrubou da primeira vez, derrubou a segunda e você não sabe, mas estou sentindo de novo. Demorei meses para me curar, porque elas me assombravam e então você copiou e colou e dessa vez, não deveria, mas foi tão mais forte que a água chegou antes, me puxa pelos pés, me sufoca, me faz arder a garganta, me faz querer entrar naquela caixa que passei anos dentro, que colocava a cabeça para fora de vez em quando porque apreciava a natureza. Eu confiei em você, eu deitei aqui agora e prometi a mim mesma não chorar outra vez por aquele mesmo motivo idiota, mas não importa tudo o que li agora sobre perdoar, estou com raiva e tenho o direito de estar, por que me deixa tão triste? Por que piora ainda mais essas vozes na minha cabeça?
      Talvez maturidade mesmo não tem a ver com perdoar e fingir que nada aconteceu, não tem a vr com amizade, não tem a ver com me colocar como dramática só para que seja inocente, tem mais a ver com te perdoar uma segunda vez e te deixar partir antes que você destrua tudo que restou, não só de mim. Coloque outra em meu lugar, criem novos apelidos, tenham as coisas que a gente tenha, deixe que ela cuide de você como eu cuidei e se um dia ela errar, a perdoe se estiver pronto para perdoá-la, mas jamais jogue seus erros na cara dela, como você vez comigo.
     Eu percebi... Eu contei sua qualidade mais de duas vezes, por isso sua lista de prós era tão grande, acho que está na hora de refazer, porque agora vejo com clareza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário