Você ainda tem medo do escuro?

 
  Quando eu te conheci, você não tinha medo de nada, de quase nada, apenas do escuro. Você me dizia que no escuro:Se perde, acha o que não está procurando e é constantemente assustado, que você não pode ver ninguém e não sabe quem deve tocar.Quando te conheci te imortalizei e não parava de escrever sobre você, porque era assim que eu imortalizava meus amores, colocando-os em linhas e lendo depois de alguns anos, a sensação era encontrá-lo na rua e acenar.
     Quando te imortalizei, te dei meu coração, mas você não o queria, fiquei com a mão estendida um tempão e continuei te imortalizando, como um lápis fraco, a tinta acabava, eu pegava outro e fazia o contorno todo de novo só para poder me lembrar dos seus olhos, do seu sorriso, eu reparava em você e você reparava em outras pessoas, nunca fomos o suficientes para nós mesmos e acabamos sendo insuficientes demais um para o outro.
    Quando me fiz insuficiente para você, me fiz para mim também e nada mais bastava, o que eu queria não estava ao meu alcance, parecia que era um pontinho que andava ao seu lado. Quanto mais eu tentava pegar, mas longe ficava... porque ele era você e você não queria estar por perto. Demorou demais para eu entender que não podia te amarrar, que não se pode pedir para alguém que quer ir desesperadamente ir embora ficar mais um pouco, eu te soltei, na intenção que você pedisse para eu te segurar novamente e ficasse aqui, mas você só parecia aliviado e partiu.
     Quanto te libertei, me deixei para trás e sai procurando outras pessoas para imortalizar, para dar todo o meu coração, mesmo que elas jogassem fora, para dar toda a minha bondade, mesmo que fosse pouco até para mim. Mal sabia que eu podia escrever para mim, que eu poderia me imortalizar, que eu poderia me dar bondade e que acima de tudo, eu poderia ser suficiente.
      Quando entendi, vi o porque que você não ficava.. Escrevi trezentas páginas de um livro e duzentas e setenta eram sobre você, você não ficava porque não queria ser imortalizado, queria namorar uma menina simples e depois morrer no anonimato, velhinho, eu era demais para você? Porque hoje percebo que não sei mais nada sobre você ou sobre sua nova garota.
     Os textos, antes escritos para você, tomaram outro rumo e me enchi de amor, por isso, como último texto que escrevo para você, como seu último vestígio nas minhas linhas, eu só queria saber, você ainda tem medo do escuro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário