Você é meu verde.


- Qual é? Eu gosto de você.
- Quando eu fui pintar meu cabelo de verde, todo mundo disse que era uma loucura, que ia ficar muito danificado, que não ia mais me dar o poder da invisibilidade que eu tanto amava no meio dos outros... que ele simplesmente se partiria e eu me arrependeria muito.
- Oi?
-  Então... eu fui perguntando a opinião das pessoas e todas diziam a mesma coisa, diziam "não, você tá louca?"
- Onde você quer chegar com isso? Como isso se encaixa na gente?
- Aí, por último alguém disse: Vai fundo, vai ficar simplesmente ótimo. Então, eu ignorei todos os comentários negativos de antes e pintei meu cabelo de verde. Com três dias, ele já estava bem quebrado, parecia que ele tinha perdido a inocência que eu cultivei durante anos, depois de uma semana eu não aguentava mais as pessoas me olhando, você sabe como é aqui, todo mundo olha. Depois de umas duas semanas ele estava tão quebrado que a cabeleireira me falou que levaria em média três meses para recuperá-lo ou até mais.
- Então... eu sou a cabeleireira? O que eu sou?
- Você é meu verde.
- Sou seu verde?
- Você é aquilo que todo mundo diz para eu não fazer, mas é tão tentador que eu procuro opiniões que me levem a você, mesmo quando você não seja o melhor. Porque assim fica mais fácil justificar minha culpa, parece que alguém se oferece para dividir o fardo, mesmo que quando tudo fique ruim, não tem uma só alma viva lá. Você é o verde que todo mundo dizia para não fazer e eu fiz porque procurei tanto por alguém que me dissesse ao contrário que nem contei até 10 quando isso não aconteceu. Depois de um tempo, ficou quebrado, ruim e era na dolorido de olhar. Eu queria ter ouvido as pessoas certas quando elas sabia que minhas decisões eram erradas, mas tive que fazer as erradas para ficar certa por mim mesma.
- O que você fez com o seu cabelo verde?
- Eu simplesmente cortei no tronco tudo que estava verde, nunca mais olhei para trás e aceitei que verde nem sempre é melhor para mim, mesmo quando eu queira.
- Você cortou?
- Eu cortei e esqueci. Como eu disse, eu nunca mais olhei para trás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário