Uma carta para as editoras Brasileiras.

   

   Queridas editoras de todo país, eu acho lindo histórias de alguns youtubers, é realmente incrível vocês os publicarem falando de como eles conseguiram milhões de seguidores, mas há algumas pessoas que não são assim, elas não tem canal em YouTube, elas se expressam por meio do papel, o papel é seu amigo, elas escrevem coisas que faltam falar por uma nação inteira, Deus, como elas são talentosas, elas não querem falar sobre elas, gostam de inventar coisas sobre personagens incríveis, elas não querem números exuberantes com muitos zeros, elas fariam até de graça, porque isso é ser um escritor de verdade, você escreve porque aprendeu a amar a literatura, mas como se amar algo que vai ser destruído?
      Isso mesmo, as editoras brasileiras são "destruidora de sonhos", não falo por mim, como já disse o assunto não é sobre alguém em especial, mas de todos os escritores talentosos que o Brasil tem, nos tempos de Clarice Lispector, Rachel de Queiroz... Elas se arriscavam, elas entregavam um papel rabiscado e as pessoas viam poesia, as pessoas viam profundidade, nós jovens nos arriscamos tanto quanto elas, elas são inspirações para quem realmente entende de literatura, não só elas, mas Machado de Assis, Lygia Fagundes e tantos outros, mas é muito difícil arriscar-se quando sabemos que nossa chance será dado à uma pessoa que já tem tanta coisa.
     Entendemos, sim, nós entendemos mesmo o motivo, não somos conhecidos, não queremos fazer vocês passar vergonha né? E se nosso livro não vender? Nunca falamos para uma câmera, não somos modelos, não mudamos o mundo, não temos mais de dez mil seguidores, mas isso não devia ser importante, antes não era, as editoras estão se mostrando tão superficiais que chego a ter vergonha do país, os talentos que estão sendo esmagados sem nenhuma oportunidades, todas as portas estão fechadas, não dão espaços nem para gente tentar, não venham, por favor dizer que é nossa culpa, nós sentamos na frente do computador por horas, nós escrevemos personagens tão reais, tão a cara do jovem, tão a cara de um ser humano, não gostamos muito de fantasiar a verdade, não tempos uma fama para colocar no nosso livro, não temos dicas para ganhar milhões, mas temos amor, isso deveria ser o suficiente, mas não é.
      Até me desculpo se eu tiver errada, mas as editoras deveriam dar as pessoas boas historias, porque a vida já é chata demais para aqueles que procuram ler, e se acham que com livros contando sobre histórias de estrelas famosas vão atrair mais leitores, não vão, vão atrair mais vendas com certeza, mas não leitores, e eu penso que pelo menos nas artes, na literatura, deveria ter mais sentimento do que dinheiro envolvido, porque foi assim que me apaixonei por ela, por ter pessoas que tocavam umas as outras mesmo estando longe, pessoas que não tiveram um carro legal, uma casa enorme, muitos inscritos, muito de tudo, elas não tiveram isso, aliais, a maioria só gostava de um lugar afastado de todos para escrever, escrito é nosso melhor amigo.
     Portanto, não entendo porque o que era feito com tanta paixão e intensidade se transformou em um negócio que quem sai na frente tem mais status, queria que não fosse assim, mas é, eu sou jovem e quando escrevo me sinto infinita, transbordando, tem tanto que quero falar, tem tanto que quero inspirar, mas tudo que ouvi foi "não". Não sou eu, tantas pessoas que talvez, ou com certeza eram melhores do que eu, pessoas que tinham tanto à mais para contar, porque queridas editoras é isso que a nossa literatura brasileira é... Ela é emocionante, ela nos toca, ela nos ensina, elas não nos cobram, elas nos entende, elas nos fazem sair da vida que temos que viver, ela leva as pessoas aos lugares certos, ela alimenta, ela conecta, não é isso que está acontecendo agora.
     A literatura brasileira virou apenas um negócio de aparências e capital, uma forma de manifesto belíssima que tirou a oportunidade de milhares de manifestante que deu a alguém que tinha menos a contar, mas mais gente para quem vender.
    É verdade, queridas editoras, não temos milhões, não temos quase nada, quer saber? Não temos nada que vocês queiram, só temos a literatura de uma forma que não existe mais, escrita com emoção, sem nenhum interesse e o único intuito de divertir as pessoas e inspirarem o mundo a ser um lugar melhor, se não querem isso, lamentamos... Só temos a literatura intensa, transbordando que não está pronta para as mentes vazias dos leitores que vocês querem.
Obrigada.
Atenciosamente.
   Todos os escritores repreendidos do Brasil, um país que um dia já foi belo pela literatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário