Image Map

Rabiscos que eu estava fazendo em Dezembro de 2020




já faz uma semana que eu não penso em você
pensei até em salvar seu número de novo pra ver
se você mudou aquela foto brega, se ela ainda te arranja umas paqueras
e eu contei aos meus amigos que não aguentava sentir
o perfume que você usava quando vinha até mim
chegou o tempo que eu queria só chorar
porque achei que nunca ia superar
mas foi melhor assim
eu tive que deixar você ir
pra você amadurecer pra si
 e nunca mais tratar alguém assim
e eu achei que você tinha o céu que me me perderia todo dia
eu achei que você era a melodia que as pessoas me diziam
e eu pensei que você era um conto de Clarice
com uma pitada de feitiço
nunca faria isso comigo
também achei que você queria compromisso
mas tava claro que a gente tava longe disso

Conselhos que eu (e talvez você) precisa seguir.


       Querida Larissa, dia 10 de novembro de 2021 foi um dia extremamente triste e provador para você, lembra quando você achou que o mundo ia se acabar, porque aparentemente tinha acabado para você, dizer "Adeus" literalmente a alguns amores foi a coisa mais dolorida do mundo, já dizia Bruna Vieira, a primeira vez que me disseram adeus eu quase fui junto, mas aí fui ficando. Pois bem, mas aí fui entendendo, não foi eu mesma que jogava para o universo todas as noites que tirasse quem não deveria estar ocupando espaço? Então bem, obrigada universo, eu não entendi na hora, não entendo bem ainda, choro de vez em quando, acho que o mundo vai acabar de novo, mas de novo, vou ficando e ficando.

        Para quem eu disse adeus, eu queria, queria mais que tudo que ficasse em minha vida, eu tinha planos, eu tinha sonhos e esperança, mas tinha também que ter maturidade que quanto mais escolhia acolher elas, menos eu me acolhia e menos eu me tornava um lar para mim. Se eu não posso ser um lar para mim, então, onde deveria ser meu lar? Essa é a casa que eu vou ter para o resto da minha vida. Meu primeiro amor da vida, pessoa que também ler o que eu escrevo aqui e sempre pareceu interessado, eu ainda amo você, mais do que eu achei que poderia amar alguém na minha vida.
        
        Você fez todos os livros que eu li se encaixarem na minha cabeça, de repente, parecia que todos os escritores do mundo espiavam a gente por uma janela de vidro suspirando alto, porque era tudo sobre você, sobre a gente. Eu não acredito que acabamos em tanta gritaria, caos e mágoas, eu gostaria que não tivesse sido assim, um de nós deveria ter mantido a racionalidade e encerrado a conversa de ódio e começado outra em um momento mais pacífico, porque eu tinha dito a você mais de uma vez: Começamos com amor e é assim que vamos terminar. Não terminamos e o amor do fim ainda estar guardado, é todo seu, sempre foi, me desculpe não ter lhe dado quando foi conveniente.

       Para meu amigo da vida toda, ver você crescer foi uma dádiva daquelas que faz a gente entender porque vem ao mundo, você foi doce e fiel, mas em algum momento você me deixou de lado, eu entendo que as novas amizades pareciam mais atrativas e alguém que esteve ao seu lado tanto tempo, jamais ousaria arredar o pé, e eu não fiz, por alguns anos. Porém, tente me entender, todas as vezes que eu não queria dizer, mas queria que você ficasse comigo e você preferiu ir. Entenda todas as vezes que eu pensei que poderia sair com você e viver também experiências boas com você e como você estava vivendo e você não quis, porque você já tinha outras pessoas, elas não te conheciam tão bem quanto eu, mas eram boas o bastantes para me deixar ali. Te desejo tanta felicidade que não caberia em palavras, te desejo que seus amigos continuem por perto, afinal, foi por saber que estaria bem com eles, que eu fui embora, te desejo que se encontre no caminho, eu sabia que você estava meio perdido, eu também fiquei, você sabe disso. 

       Para mim, eu te entendo, eu respeito suas escolhas, eu entendo agora e por mais que eu insiste em chorar e sentir esse vazio, eu entendo que você se escolheu, só tenha paciência comigo, é que eu nunca fui escolhida, nem mesmo por mim, nem para jogar nos times da escola, nem para ser convidada para todos os passeios pela cidade, nem para ser a amiga que todo mundo ama, nem para ser a garota escolhida por todos os meninos, é que eu nunca fui presidente de sala, nem nada do tipo, obrigada por me escolher, eu não sabia que eu podia ser escolhida da forma mais genuína, audaciosa e corajosa. A medida que os dias passam, eu consigo ser grata a você, sei que teremos uma a outra para o resto da vida, me sinto em casa de te chamar de lar.
      
           Eu ainda sinto muito, machuca muito, mas peço em oração para que se for para essas pessoas voltarem para minha vida que eu tenha atingido maturidade suficiente e elas também, dessa forma, não seremos tóxicos um para o outro, eu acredito nisso, que nesse momento eu não posso me aproximar, mas terei atingido amor o suficiente para mim e para eles novamente, não há mágoa entre a gente e não vejo a hora da gente voltar ao que era, só que melhor, porque vocês tocam a minha alma.
de quantas pessoas mais eu posso falar isso? 

A song for you

 


I was the only one in my life

But you brought colors and lay down in my arms

Never thought that I could

to be something for you

You taught me love

You brought the cure

You taught me love

I’m sorry for the fights 

And sometimes for the lies 

I wish always keep you

By my side

But we know 

It’s not easy 

To be the dreams’ person that we like

You taught me love

You brought the cure

You taught me love

And I miss you

Because 

You teach me love 

You’re the cure 

You’re the every places

That I belong

Mudanças

 


                          Então, todas aquelas conversas de madrugada, e sobre os seus sonhos? 

Sobre seus amores, ainda são os mesmos? e sobre aqueles que te feriram, ainda dói? quais são as novas lembranças? quem está nelas?

Você manda mensagem só às vezes, como se isso disfarçasse sua ausência, você promete coisas que não pode cumprir, mas tudo bem porque eu também sou assim, me sinto mal por fazer isso, você sente? dói quando você ainda deita para dormir? ainda sente aquele aperto? aquelas lágrimas, ainda escorrem com frequência? 

      E quanto aos nossos planos? Aquela saída ainda está marcada? eu creio que não, você colocou na mala quando foi embora, não é desgastante colocar uma cadeira na sombra para conversar com alguém que foi pegar um café e nunca mais se sentou para olhar o que eu olhava, para sentir o que eu sentia, a cadeira tá sempre lá, mas já percebi que você não vai voltar.

      Hoje, eu apaguei seu número, o que de bom poderia acontecer na sua nova vida que fosse digno de me contar? Você tem novos favoritos, eu tenho novos conceitos, o que é o nosso novo engraçado? adianta guardar a sua cadeira quando você escolheu se afastar? adianta esperar? isso vai desgastar tanto, tanto, tanto.

                            Então, todas aquelas conversas de madrugada, e sobre os seus sonhos? 

     E sobre aquelas noitadas? Sobre aquelas bebidas que rasgavam a garganta e faziam a gente rir em conversas que não eram nossas, se perder em planos que não nos cabiam, o que aconteceu com aqueles programas que não tinham hora para acabar? que eram tudo o que eu sempre quis e você também estava disposta a topar? 

 

                          Então, todas aquelas conversas de madrugada, e sobre os seus sonhos? 

Empacotou, levou e nunca mais olhou para trás.

Você é uma incógnita

      


       Por que eu escolhi ficar triste pelo fato dele simplesmente não me querer por perto? Por que eu tenho que ter essa constante necessidade de ser escolhida, quando eu mesma deveria me escolher todos os dias? Por que eu tenho sempre que ir embora, quando tudo o que eu mais quero é ficar e ver no que tudo isso vai dar? Por que eu não posso ser escolhida ao menos uma vez por alguém que não seja eu no fim do dia me confortando por não ter espaço?

        Por que eu tenho que ficar olhando pelas brechas do muro que alguém construiu na minha frente? É para ver essa pessoa ainda volta para mim? É para arrumar desculpas para ela balançar minha vida de novo só para satisfazer o ego dela? Por que eu simplesmente não consigo aceitar as portas fechadas, as janelas lacras e os pontos finais? Eu e minha mania de amar vírgulas e achar que ainda não foi uma despedida, o que eu faço com sua mala? e aquele adeus que você nunca me deu? O que eu faço com as memórias? o que eu faço com esse sentimento todo? 

         Eu tenho que aprender com você, eu tenho que aprender o português correto, colocar ponto onde pede ponto, interrogações onde pede interrogações e vírgulas só valem para mim, porque eu sou minha única companhia e continuo sendo a melhor pessoa para ao meu lado dia após dia. Agora que você me teve e agora que não quer mais, ainda é divertido ficar por perto? Agora que eu não sou mais a favorita, ainda é divertido apostar cartas em mim? Agora que eu sou necessitada, ainda é legal sumir? 

        Eu tenho que aprender com você, eu tenho que aprender a ser assim mais leve, a deixar para lá o que não me interessa mais, mesmo que eu não sabia que você fazia isso com pessoas, eu tenho que virar a cara mais vezes e dificultar mais a entrada de novas pessoas no meu coração, porque quando entra, eu me queimo, quando me apaixono, eu sofro, quando me magoa, eu escrevo e quando escrevo eu percebo que não estou perto de estar bem.

       Por que abri para você? O que você tinha para me ensinar que eu ainda não tivesse aprendido de outros corações partidos? o que você tem que eu que me culpo por você não querer ficar? o que você tem mais para dizer que vá me magoar? Por que é tão difícil te deixar ir?

Agora que você me tem, você ainda me quer?

  


  Primeiro, me deixe acreditar que não será igual as outras vezes, igual aos outros que já passaram por aqui, me diga que não é idiota e que sabe do que eu preciso, diga que vai além de amor, de relacionamento, diga que nada vai mudar amanhã. Me conte sobre os seus sonhos esquisitos, suas paranoias, você sabe que eu as adoro, eu sou programada para adorá-las. Me conte sobre seus planos para o futuro, sobre seu medo de coisas que não existem, me conte sobre sua música favorita, me faça assistir vídeos que eu jamais assistiria.

      Me faça abrir as feridas, me deixe sangrar para você ver, me deixe falar sobre meus medos, minha carreira e meu futuro, me deixe falar sobre meus pais e sobre meu medo de crescer, me deixe ser eu, só eu e você. Depois haja como um idiota, como os outros agiram, me faça me questionar minhas seguranças e inseguranças, me faça ver o mundo através do fogo, oh meu amor, você sabe que vocês são bons nisso. Me faça despir minha confiança, porque assim é mais fácil zombar de mim. Me troque na quinta-feira, na sexta eu ainda vou estar esperando, eu mal dormi, porque não queria perder nada. No sábado eu só olhei o celular umas 486 vezes e tudo bem você sumir, sumir como os outros sumiram.

        Eu vou arrumar desculpas perfeitas para a sua ausência, eu vou inventar cenários maravilhosos para me deleitar na sua ausência, quando na verdade eu sei o que se passa, já a outra aventura te chamando em outro lugar, essa não parece tão mais divertida, agora há outras ondas para desbravar, essas aqui não molha mais seus pés, mas ainda assim me forço para ser tempestade, porque você me falou que gostava da chuva. No domingo, eu ainda espero, afinal, o que você teria para fazer? Idiota. Eu tenho que lhe dar com tantas coisas, tão mais adultas, tão mais maduras e tão mais significantes do que você, mas ainda assim estou aqui escrevendo sobre esse medo de perder você, mas eu já perdi, certo? Segunda de noite, ainda nada.


sobre nós


 Primeiro dia de dezembro você me beija

terceiro dia de dezembro você sai com ela

quarto dia de dezembro você briga com minha melhor amiga e me coloca em uma corda bamba 

quinto dia de dezembro você me convence a ficar 

e tudo vai ficando meio que igual.

14 de dezembro eu espero você aqui, no meu aniversário, você é sempre o último a chegar, o primeiro a sair

e tudo vai ficando meio igual.

dia 16, ok, já deu, te digo que cansei.

"Não desiste de mim, deixa eu ficar com você" - 17 dezembro.

e tudo vai ficando meio igual

20 de dezembro, me beija de novo, não vai embora, eu acho que gosto mesmo de você.

25 de dezembro, tu aparece de novo, porque estar sozinho e entediado.

28 de dezembro, você some

29 de dezembro...

30 de dezembro... olhada no celular... nada

nada

nada

nada

nada

31 de dezembro, vira ano, ...

nada

olhada no celular

nada

"ah, mas quando ele aparecer, ele vai ver"

nada

nada 

nada

Fevereiro

                                                                   bip de celular

"Oi sumida, é o amor da sua vida"