Image Map

120 dias

 Oi... Tudo bem aí? 

      Hoje fazem 120 dias. Você sente minha falta quanto eu sinto sua?

Tô precisando de alguém para me defender, alguém para rir das minhas piadas.

Posso ligar para você hoje?

Não vejo mais foto de perfil quando coloco seu número.

Pode me ver hoje? Pode me visitar?

Tenho estado cansada, duvidando do meu potencial, tenho andado preguiçosa e sentindo tudo escorrendo nas mãos, tenho me sentido sozinha e em outra realidade, é como se estivéssemos em uma nova temporada dessa série, mas eu gostava mais quando você estava.

Você é minha personagem favorita.

Pode me ver hoje?

Me desmotivei, mesmo sabendo que tô fazendo isso por mim e por você.

Posso te ligar?

120

120

120 dias ficam me fazendo rodar e rodar.

como eu vou aguentar?

Me sinto cruel comigo, porque consegui já ficar 120 dias sem você que tanto quis meu bem, minha calma e paz e não consegui 50 longe de quem me despreza, sabemos disso, sinto muito.

120 dias

até quando?

posso te ligar?

pode vim me ver?

eu não aguento mais de saudade de você.

-oração.

1001 textos sobre isso





 -então, fale tudo.

- tudo? - estremeci.

- Claro, afinal, você disse que precisava de alguém para desabafar. Você chamou. Eu vim.

- Certo, claro, claro. Acho que não queria mais sugar meus amigos com histórias sobre esse término. Acho que eles me achariam meio doida por não superar ele. Mas, ainda há tanto entalado. Eu realmente não sei o que fazer com tanto.

- Conte então.

- Ok. - pigarreio.- primeiro, eu odeio o fato que tudo foi perfeito no começo. Ele me chamava pelo sobrenome, como os caras bonitos e populares faziam com as mocinhas nos livros que eu lia. Eu me derretia toda vez que ele me chamava pelo meu segundo nome, soava doce e importante. Eu não podia acreditar na sorte que eu tinha. 

- Isso parece legal.

- E aí eu comecei a pensar: cara, meus amigos devem ter muita inveja disso tudo, porque era inevitável não admirar a gente. Ele me trazia presentes acompanhado de remédio quando eu ficava doente, ele me dava abraços por trás que me acolhia como uma casa. Ele me amava de um jeito que eu não sabia que era possível amar. Eu amei ele, eu o amei de uma forma quase doída demais para suportar. Acho que ainda amo.

- Ama?

- Não sei, talvez. Parece que fico dividida entre raiva e amor. Eu o odeio por ter me deixado, mas tento imaginar um cenário em que a gente tenha dado certo e você tem que ver… é perfeito.

- Mas não deram.

- Não demos. 

- Por isso eu estou aqui. Repito, você me chamou e eu vim.

- Você me acha bonita? Inteligente?

- Isso é relevante pra gente?

- Não sei, talvez. Porque com o tempo eu passei a sentir que não era. 

- Por que sentiu isso?

- Porque ele me deixou com a  sensação de que não posso ser amada a longo prazo. Não tô dizendo que a culpa foi dele. Não, nem um pouco. Talvez tenha sido minha mesmo de não ser amável. Eu não sou amável, sabia?

- Eu…

- Eu descobri há uns dias que não sou amável, tudo foi ficando mais claro, o porquê de eu sempre me sentir na sombra de outra pessoa, o porquê de eu ter feito tudo pra ele ficar e ele preferiu ir embora. Mesmo quando eu precisava dele. Nossa… eu precisava muito dele. Eu precisava dele pra caramba. Eu queria mais uns meses com ele. Acho que me faria bem.

- Mesmo sabendo que um dia ele tinha que ir?

- E quem não tem? Você não viu quem eu perdi? Todo mundo vai embora. Mas, precisa ir todo mundo de uma vez? 

- E o que você faria quando ele fosse?

- Acho que o que eu tô fazendo agora. Sobreviveria, tô sobrevivendo, sinto falta dele, penso em ligar, em mandar mensagem… penso em perguntar sobre a família dele. Mas… não faço… estou sobrevivendo sem ele. Tentar superar ele é a coisa mais difícil que já fiz na vida. E mesmo assim, tudo o que eu queria era repetir a dose. Era mais uma vez amar ele. 

- Eu queria poder abraçar você até isso passar.

- Mas não pode, você nem ao menos pode me dizer algo racional, além de me ouvir. Certo? Parece que não tem mais espaço suficiente para falar sobre os danos que esse amor me causou. Você acha que vamos superar?

- É bem possível, já ouviu histórias assim antes. Não somos excessões.

- Bem que poderíamos, poderíamos ser aquele amor que parecia que ia dar errado, mas o mocinho volta e confessa que não pode viver sem ela e eles se beijam na chuva.

- Aí que tá… ele pode viver sem você.

(Silêncio)

- eu sei. Eu sei que ele pode viver sem mim.

- É o que ele tem feito, afinal. Ele já ligou? Já mandou mensagem? Já disse que tava com saudade?

(Silêncio)

- Eu não entendo a sua necessidade de dar mais do que pode receber. E para quem não vai retribuir.

 (Silêncio)

- Quando vai aceitar que hoje é um dia a mais sem ele, pra ele também? Ele tá vivendo a vida dele, talvez ele tenha se apaixonado de novo, quem sabe? 

- Dói saber que eu sou substituível. Eu sempre fui.

- Porque você escolhe as pessoas erradas para amar e pessoas erradas vão te substituir pelas certas para ela, só assim você ficará livre para encontrar as suas certas.

- E até lá? Eu aceito que ele beija outros lábios? Aceito que ele se diverte sem mim? Vive bem sem mim? Não fala de mim?

- Meu bem… o que você tem feito até agora se não sobrevivido a isso?


- eu e minha consciência em algumas noites.

Eu e eu

    


      Eu merecia amigo melhor, um que não me desse adeus na sexta só para que sábado pudesse curtir com outros amigos até segunda e então na segunda, você me procura de novo, meu coração é uma porta giratória, minha companhia é uma loja de conveniência. Eu te entretenho o bastante? Eles são melhores que eu, eu sei, eles falam mais. Eles são mais como você. Eles não gostam de mim? Eu envergonho você? O que eu falo que é tão absurdo, me fale e eu não falo nadinha, me inclua, me mostre, eu sei ser boa amiga. Eu tenho urgentemente que perceber que o problema não é eu. Eu só merecia um amigo melhor. Eu merecia alguém que não me fizesse questionar se eu era boa ou porquê não consigo ser amada ou porquê as coisas parecem mais fáceis para você do que para mim, ou eu pareço mais arrogante e mais sem valor. Eu merecia não ter dúvidas sobre minha capacidade de ser boa.

       Eu merecia um amor melhor, um que não me sufocasse, que não falasse comigo com dureza e achasse que isso era qualidade de sinceridade mesmo que quando via que as palavras me cortavam em mil pedaços e as lágrimas eram sem nenhuma vergonha de se mostrar, um que me amasse genuinamente como num conto da Disney, um que me desse minha identidade e não me tornasse sua, mas minha também, afinal, sou minha desde que nasci, um que não me tirasse o pé do chão de forma tão absurda e irracional, eu merecia a sorte de um amor tranquilo, merecia entendimento, porque eu já vivia num mundo de incompreensão, sozinha e confusa com tudo, merecia um colo quente às vezes, ao invés só do seu corpo do lado, merecia romantismo, merecia beijos mais doces e mais vagarosos, como se eu importasse, merecia mais de você e ainda assim me culpo todos os dias porque mesmo dando tudo de mim você preferiu não ficar comigo, porque simplesmente eu era exaustiva de mais para você, eu te cansava, te estressava, eu te sufocava, mesmo tentando meu melhor.

       Eu merecia ser convidada mais vezes, eu merecia me sentir priorizada mais vezes, ao invés disso, parece que estou colecionando uma porção de traumas. Trauma de não ser namorada o suficiente para ser tratada com puro amor e compreensão ou receber mais orgulho, trauma por deixar ir quem não quer ficar(mesmo quando a ida às vezes me traz o alívio que eu tanto precisava), trauma por ser amiga, mas não para tudo, porque não sou boa o suficiente para ser a festinha do fim de semana, não sou boa o suficiente para você conhecer em público, eu sou a que você procura na segunda de manhã, quando todos os seus outros amigos de verdade e mais interessantes que eu voltam para suas vidas normais.

      Eu tenho trauma do amor em todas as escalas e em todas as paradas que ele é capaz de parar, porque vocês fizeram meu coração um pit stop de descanso, colocaram o pé na mesa e pediram água gelada, deixaram ela esquentar na mesa, saíram para viver, sentei sozinha, coração despedaçado, mais uma vez trocada, as gotas dos copos foram tudo o que restou ali, um lembrete permanente que vocês vão voltar, quando der sede, fome ou qualquer necessidade possível, vocês vão voltar para se certificar que ainda estou esperando, vocês vão me contentar com um sorriso fácil e umas três palavras clichês pensadas para me confortar e me fazer esperar mais, depois eu ficarei sozinha novamente.

     Eu que lute para me curar.

      Que eu aceite que meu coração é o lar aquecido que eu vivo procurando, é o lar onde eu posso repousar sem medo de não me chamarem depois que eu adormecer, porque quero participar, sempre serei bem vinda lá, é o lar que nunca vai me decepcionar ou me colocar para fora sem explicações, cuide do seu lar, do meu lar, que a gente seja feliz. eu e você. Que a gente entenda, que o problema não está na gente e sim em que nos feriu.

Por favor, se cure com cautela.

Perdão

  


   Finalmente, eu te desejo, profundamente, tudo de melhor.

     eu entendi que precisava te deixar ir porque fazemos emoções eternas com pessoas passageiras, ou quase sempre assim. Falar sobre o que eu fiz para você ou o que você fez pra mim no final não vai trazer ninguém para o lado de ninguém, quando me perguntarem de você, eu vou falar sobre como foi doce minha experiência de primeiro amor e todo o resto eu vou deixar entre a gente, porque no fim, eu entendi que procurar culpados não vai trazer a paz que a gente precisa.

      Eu te desejo luz, te desejo a paz que você não conseguia alcançar por inúmeros problemas pessoais, realmente, espero que eles todos se resolvam, você é bom e você sabe disso, você me deu a primeira sensação de que eu posso amar e posso ser amada, você me deu palavras que não podem ser apagadas assim tão facilmente, mas finalmente eu te deixo ir, te dou a liberdade que você sempre quis.

      Eu não quero me demorar muito escrevendo sobre a gente, porque a gente é uma longa história e não acabou o amor, apenas é diferente, amo você, apoio você e torço por você, só não gosto mais de você a ponto de me entregar totalmente para a gente tentar várias vezes e acabarmos nos machucando e dizendo coisas que vamos nos arrepender depois. 

      Por fim, percebo que perdoar você era mais uma questão de entrar em paz comigo mesmo, agora consigo ver que você me deu a melhor parceira de relacionamentos que alguém poderia ter, eu mesma, se não fosse pelos nossos corações partidos, acho que eu não teria furado minha orelha como eu sempre quis, não teria cuidado tão bem da minha pele para me sentir mais bonita, não teria começado a meditar, não teria ido mais vezes à academia. 

     Eu agora percebo que meu coração é um lar que eu sempre posso voltar e que eu vou ter meu amor para o resto da minha vida, espero que você encontre isso também e no meio do caminho alguém para cuidar de vocês. Obrigada por me entregar seu coração por um tempo limitado, porém incrível.

Notas sobre ela

      


     Um dia, a resiliência, coragem e força se reuniram, conversaram um pouco e das palavras nasceu ela. Um dia, o amor caminhava meio descuidado e se derramou todo sobre ela, a fazendo ser amor, um dia a paciência se sentou com ela num banco e conversou por alguns minutos e nesse tempo deu um pouco de si, então ela entendeu que era paciente, resiliente, amorosa e corajosa.

       Um dia, o carinho mostrou sua face por alguns segundos e então, ela se esbaldou em carinho e fazia dele sua cama todos os dias, um dia ela mostrou força, e então entendeu que toda revolução começava e terminava nela, no seu tempo. Depois, a bondade lhe deu a mão e assim ela caminhou com uma companheira que a tornava mais doce do que ela jamais teria sido, por onde ia respingava o amor que tinha se derramado sobre si e de amor ela nunca faltou, de amor ela desejou e doou, amor nunca mais faltou.

      Um dia ela encontrou alguém para amar e ser amada e amou, mas o tempo ela não encontrou, e como o amor veio o amor foi deixando a porta meio aberta, sem dizer se voltava, ainda assim, ela continuou a ser resiliente, paciente, amorosa e corajosa. Da paciência, que um dia lhe deu conselhos sábios, ela pegou muitos e seguiu por onde derramava amor, ela juntou um, dois, três e quatro corações para dividir o seu amor, amor nunca mais faltou.

       Um dia seus quatro corações se dividiram, transbordou amor, paciência e coragem e ela colecionou afeto como a lua colecionava estrelas no céu. Um dia ela encontrou seu lugar em uma dezenas de coração e em cada um ela deitou e fez uma pequena oração de proteção, e a partir dali nenhum coração tocado por ela tinha se sentido sozinho novamente.

       Um dia, o amor que se derramou em si disse que a paciência era sua melhor amiga e pediu que oferecesse os dois sempre em conjunto a cada um que ela encontrasse, porque o amor simplesmente não suportaria sair sem a paciência, ela atendeu e entendeu que amor impaciente não morava em lugar nenhum, por isso ela deu seu peito para repousarmos, seu ombro para chorarmos e as palavras para nos conformarmos e entender o que ela tinha aprendido com o que já tinha pousado sobre ela.

      Um dia, ela construiu um lar e o lar se tornou seu coração e seu coração se tornou uma mansão e nessa mansão a gente ficou, nada nunca faltou, até que um dia, ela encontrou o cansaço, o tempo também tinha voltado, ela decidiu que era hora de descansar, de depois de tanto precisava agora de pouco, assim como os encontrou no caminho, junto a coragem, resiliência, paciência, amor e força, os trouxe para próximo e deitou, fechou os olhos e descansou, tudo estava no seu devido lugar novamente, como ela sempre soube que seria.


Para ele.

 


- Eu sinto que eu tô te perdendo. - você me diz.

É, eu quero dizer que você está me perdendo, que você perdeu um pedacinho meu quando precisou beijar outra pessoa para saber que gostava de mim, mesmo quando eu nunca precisei olhar para mais ninguém para sentir que você foi feito para mim em todas as maneiras possíveis.

    Você me perdeu um pouquinho quando saiu com seus amigos e eu te esperei acordada até ser vencida pelo cansaço, eu sei que você me pediu desculpas, mas desculpas não concertam muitas coisas que você fez. Você me perdeu um pouquinho quando falou sobre outra garota da qual você já foi apaixonado, sobre como você gostava quando ela sorria para você, mesmo depois de te tratar mal. Você me perdeu um pouquinho quando não me aceitou como eu era, e como eu já não sabia quem ser para você. 

     Você me perdeu por dizer palavras erradas em horas erradas e fazer coisas erradas, mas eu também não queria aceitar que você me perdeu, eu queria ficar ali no seus braços mais um pouquinho, queria acordar com você mais um dia, queria ter piadas com você e do nada eu rir e você dizer que gostava daquela risada específica minha, que era a mais natural e gostosa de ouvir. 

     Eu não queria aceitar que quanto mais você me perdia, mais eu voltava para mim, mais eu me sentia em casa de novo, eu mudei tanta coisa para te fazer ficar e ainda assim foi o jeito eu ir embora, porque nada ia nos manter bem por muito tempo. Eu ainda sinto falta do seu abraço, certas partes de você não podem ser substituíveis, eu queria ter você, mas também sentia minha falta, amor não deveria ser sobre me perder, deveria sobre me encontrar em você.

      Você perdeu tantas partezinhas de mim por aí que eu não sei como todas elas conseguiram voltar para mim, eu sinto sua falta, eu queria você aqui, mas não posso deixar mais de me querer para você me querer também, então, é isso, você estava me perdendo, mas você não sabia, eu sabia, por isso que chorei naquela noite, na sua frente, porque eu não podia mais prometer que eu ficaria, afinal, você já tinha ido embora de mim fazia tempo, no fim um sempre vai embora primeiro, não é? Você voltou, eu estava lá esperando, tentando entender como você tinha ido sem mim, você quis ficar dessa vez, recomeçar, mas eu levantei e fui embora e aí você me perdeu, e finalmente, eu me encontrei, voltei para casa, tirei a poeira de tudo e voltei a ser quem eu era e quem eu sempre deveria ter sido.


Vovó

  


    Hoje eu preciso ligar para você, preciso da sua voz de calmaria que é um lar longe da minha casa, eu preciso que você me diga como viver minha juventude, sobre como ser melhor, sobre como é uma perca de tempo eu deixar minha depressão me vencer todo tempo, eu preciso que você me prometa que vai estar aqui no sábado e eu prometo que domingo eu estarei com você também. Eu preciso que você mexa no meu cabelo, como se sua mão nunca fosse cansar de fazer isso, preciso que você faça isso mais uma vez, mas depois vou querer outra vez e outra, porque nunca me canso de você.

       Hoje eu preciso ouvir um áudio seu rindo, preciso ver um vídeo seu jogando, preciso de você, preciso que você me diga que minha vida é boa, que você está sempre ali, preciso que você diga que eu posso ir passar uns dias, uns meses, uma vida aí com você quando acho que não tenho para onde ir e dói demais ficar onde eu já estou, eu preciso de você para ser minha motivação para conseguir a vida que a gente sonhou juntas, eu preciso ver suas lágrimas de alegria com cada conquista minha como se fosse sua, porque você sabe que é.

       Eu preciso dos seus cabelos para trançar e fazer você se sentir incrivelmente linda, porque você é, preciso olhar pro seu rosto e lembrar que tenho a dádiva de herdar seus traços, de ter a mesma boca e mesmas curvas quando sorrir, eu preciso tomar café da manhã ao seu lado, preciso ainda aprender todas as músicas de Luís Gonzaga, porque você adora ele. Eu preciso ainda ver todos os vídeos de baile que a gente achar, porque isso lembra a sua adolescência e a que eu não tive.

        Preciso que você leia o livro que eu publiquei em 2016 e ficou na estante, preciso que você veja Bianca fazer 15 anos, preciso que você veja Matheus e Mikaelly os maiores advogados desse mundo, preciso que você escute mais vezes e repetidamente Raysla te chamar de vovó, porque ela também merece a dádiva de seu sangue. Preciso que veja Lizandra se achar, Pedro Henrique crescer e eu me perder algumas vezes mais dentro de mim sabendo que você está ali. Preciso que experimente o bolo que eu aprendi a fazer desde que você adoeceu e não pôde comer. 

        Eu preciso que você ria mais vezes, porque 22 anos ouvindo sua risada não foram suficientes para mim, preciso mais das suas histórias, pode ser a mesma, eu não me importo, porque 22 anos não foram suficientes para escutá-las, eu preciso de você, porque 22 anos não foram suficientes.