Se libertando

   
fonte: @filautia

  Você nunca me conheceu e nunca quis. Você sempre criou uma imagem de mim que qualquer pessoa podia dizer que era mentira, mas você não deixava elas falarem, porque talvez sua opinião fosse fraca o suficiente para mudar de uma hora para outra. Você nunca admirou minhas múltiplas personalidades e talentos, mas sempre criou repetidas e péssimas personalidades e talentos dele. Ele nunca teve argumentos o suficiente para te convencer, mas te convencia porque você simplesmente gostava dele.
      Ele nunca te tratou bem e sempre que vinha para perto de você, te sugava alguma coisa, desde dinheiro até forças vitais, mas você preferia ele do que a mim que sempre me moldava para te agradar, você nunca falou sobre minhas coisas boas para as pessoas que você fala coisas boas sobre ele, mesmo que essas coisas só existam ou só sejam boas para você. Você sempre me culpou pelos problemas que aconteciam comigo, mesmo que outros que me amavam e eu, inclusive, continuasse dizendo que aquilo não era minha culpa e não estava sobre meu controle.
      Você deixou ele definir com o que você deve gastar, quando e o que você deve vestir, mas nunca critiquei nada que estivesse em cima de você. Você deixou ele dizer o que você pode falar, o que você pode fazer e quando, mas eu só quis que você vivesse seu pleno direito a vida. Eu não queria que você ganhasse um texto sobre você, mas escrevendo sobre, eu vejo porque finalmente você ganhou e o que isso significa para mim. Você ganho seu texto porque eu vejo a situação com clareza, porque não tenho mais medo de você, porque estou crescendo.
      Você ganhou seu texto, porque em algumas vezes textos libertam pessoas e desfaz laços que são tóxicos demais para serem levados para frente, você ganhou seu texto porque eu descobri que o motivo de eu nunca ser suficiente para você é que você se acostumou com alguém que nunca foi suficiente nem para ele mesmo e de pessoas que só recebem migalhas, eu pareço um prêmio de loteria e isso é mais do que você pode receber, porque você... minha amiga, velha amiga... se contentou com as migalhas murchas e estragadas que esse garoto te deu.
        Hoje vejo que sua maior fraqueza não foi me rejeitar ou nunca querer me conhecer de verdade, sua maior fraqueza foi me colocar contra ele numa balança e dar vantagens do lado dele, mesmo que ele não tivesse. Hoje eu sei que não sou melhor que ele, mas minhas qualidades vão muito além, hoje eu sei que não aceito ser comparada com ele pelo simples fato de não sentir necessidade de te satisfazer, porque cá entre nós, eu nunca fui prêmio de consolação de ninguém, espero que veja o mesmo em você um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário